“O GRITO DE APIACÁS” Ponte sobre o Rio Paranaíta foi bloqueada

“O GRITO DE APIACÁS” Ponte sobre o Rio Paranaíta foi bloqueada, impedindo a passagem de trabalhadores da Usina Hidrelétrica no Rio Teles Pires chegarem no conteiro de Obra.

Ponte Paranaíta 01-07-2013

Ponte do Rio Paranaíta a 90 km de Apiacás

Na madrugada do dia 1° de julho os ruralistas de Apiacás, através do Sindicato Rural, mas principalmente pelos que tem terras através de Títulos/documentos públicos e posses, com o apoio do Comércio local, através da Associação Comercial e Empresarial de Apiacás, mobilizaram as autoridades locais, a população e o movimento denominado “O Grito de Apiacás” contra a demarcação (Ampliação das Terras Indíginas no município de Apiacás), que a presenta Dilma Rousseff assinou o Decreto Presidencial dia 24 de abril próximo passado, bloquearam a Ponte sobre o Rio Paranaíta(na MT-206 município de Paranaíta-MT), distante de Apiacás 90 km, com a participação de mais 600 pessoas.

Comércio de Apiacás fechou 01-07-13

Comércio de Apiacás fechou dia 01-07-2013

O comércio de Apiacás, na sua maioria, dia 1° de julho fechou em apoio ao movimento. Inclusive tem outras reivindicações na pauta na questão de melhorias para o município, como asfalto já, reforma do hospital municipal, exploração da Jazida de Calcario de Apiacás e Porto Fluvial na Cachoeira do Rasteira (no Rio Teles Pires) para facilitar o escoamento da produção do Nortão Matogrossense.

O bloqueio segundo as lideranças do movimento iniciou e só vão liberar a ponte com a presença do Ministro da Justiça e marcarem uma audiência pública em Apiacás para tratar dessa demarcação numa discussão ampla com as partes envolvidas.

Lideranças e moradores de Paranaíta e Alta Floresta também estão participando do movimento.

manifestantes colocaram pneus por cima da Ponte do rio Paranaíta

manifestantes colocaram pneus por cima da Ponte do Rio Paranaíta

O prefeito Adalto Zago, o vice-Prefeito João Bosco e todos os vereadores estão atentos, cobrando das autoridades competentes, correção dessas injustiças que o governo federal, através da Funai-Fundação Nacional do Indio, está cometendo com os apiacaenses. Afinal o município está sendo reduzido drasticamente com tantas ampliações de reservas indíginas e Parque Nacional do Juruena.

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB), líder da Minoria e presidente da Subcomissão de Demarcação de Terras Indígenas, da Câmara, tem sido um dos defensores dos ruralistas e do município de Apiacás por essas decisões que a Funai está induzindo a Presidenta Dilma Rousseff tomar.

Pra se ter uma ideia, Apiacás não tem Índio. O município de Apiacás está comemorando os 25 anos de emancipação política administrativa “03 de julho”, nesse período e até antes, ainda povoado, não se viu e nem se vê nenhum índio transitando na cidade.

Adalberto Falasca, Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Apiacás-ACIA agradece os comerciantes por terem atendido o pedido da ACIA e lideranças do movimento e fecharam o comércio no dia 1° de julho. Uma vez que, o movimento “O Grito de Apiacás” é bem abrangente, além do problema da demarcação de terras indígenas no município, envolve outras reivindicações, asfalto já, interligando o município com os demais do municípios do país, reforma do Hospital Municipal/regionalizá-lo,  explorar a jazida de Calcário de Apiacás, etc. O presidente da ACIA Adalberto aproveita a oportunidade e em nome da Diretoria e todos os associados parabeniza o município de Apiacás pela passagem de seu 25° aniversário! Parabéns Apiacás” conclui.

Comentários

Deixe uma resposta