Obra gigante no município de Apiacás e está em desuso desde fevereiro de 2013

quadra - Silda 05-10-17Dia 21 de setembro, na Câmara Municipal, teve a audiência pública para discussão do anteprojeto da lei orçamentaria 2018 – e apresentação do relatório de gestão fiscal rgf 2º quadrimestre.

Na apresentação de alguns secretários, foi citada por várias vezes a necessidade de cortar  despesas para fechar o ano dentro do estabelecido. Foi comentado também a situação do país que está em dificuldades financeiras, etc. Foi citado casos de pagamento de aluguel, etc, etc.

No final da audiência é dado aos munícipes o espaço para fazer perguntas e colações sobre os temas desenvolvidos.

O munícipe Sr. Francisco Pinto dos Santos fez algumas colocações:

Porque algumas secretarias são dispensadas de fazer apresentação, citou o caso das secretarias de Obras, Agricultura, Urbanismo…(o contador Sidney tentou justificar porque dá pouca gente para assistir e assim ele mesmo tenta fazer um enfoque. Mas afirmou que os secretários devem expor seu trabalho aos munícipes. O Sr. Francisco sugeriu que como a prefeitura ainda paga vários alugueis, a administração e vereadores deveriam fazer um esforço e usar a quadra “Centro de Eventos”- Bairro Bom Jesus, que está sem uso, com uma melhoria, lá poderia acomodar várias salas (Orgãos da administração).

O prefeito Adalto Zago, disse “Obra elefante Branco” que no momento é inviável fazer a ocupação, devido o custo das melhorias. Considerou uma obra mal feita. Comentou que o corpo de bombeiros interditou o uso desde 2013.

Dia 03/09 o Jornal o Porto falou com o Secretário Municipal de Administração Sr. José Roberto Pereira da Silva sobre o prédio do município, ele afirmou que tem que apresentar um projeto de segurança com todos os quesitos exigidos pelo corpo de bombeiros e considerou enviavel no momento. O Sr. Francisco ouviu também o Secretário Municipal de Educação Sr. Fábio Germano, ele afirmou a interdição(foi notificado pelo Corpo de Bombeiros), desde fevereiro de 2013. Ele disse que não foi feito um estudo de quanto ficaria para atender as exigências do Corpo de Bombeiros. Afirmaram( José Roberto/Fábio Gernano) que o corpo de bombeiro não questionou a segurança da estrutura do prédio e sim os equipamentos de segurança.

Esclarecimento do Jornal O Porto: Desde que o prédio foi construído/colocado o telhado em 2007 ele foi sempre usado pela comunidade para vários eventos e nunca deu problema. Parou de usar devido as normas do Corpo de Bombeiros.

O Jornal o Porto buscou em seu arquivo um pouco da história dessa Obra, uma das maiores de Apiacás. Veja mais abaixo fotos/informações.

Dia 26/9 falei com o ex-vereador e ex-secretário Municipal Agricultura Apiacás Sr Edilson Emmel. Ele que motivou a prefeita Silda na época fazer a cobertura de Eternit e levantar as paredes. Ele disse que queria fazer quatro salas grandes lá para uso da Secretaria de Agricultura. Em função da cobertura ser de madeira ele disse que era bom fazer umas colunas internas no prédio, ou melhor ainda, substituir cobertura de Eternit por folhas metálicas. O que se sabe até hoje, é que a obra esta feita precisando alguns acabamentos. Esse prédio já foi cogitado de ser doado a estrutura na época para a igreja Católica( Frei Pedro), mas os vereadores não concordaram e o projeto de Lei não foi aprovado.

Já que o problema veio a tona agora. Fica agora as lideranças de Apiacás,  ajudar o prefeito Adalto/vereadores a achar uma saída digna de respeito, quando o dinheiro público é aplicado e depois fica abandonado.

O Sr. Francisco também perguntou o prefeito sobre a obra do viveiro municipal. Pergunta que fez dias atrás ao Secretário Municipal de Agricultura João Bosco e não houve resposta do Secretário. O prefeito afirmou que não sabia da pergunta sobre o viveiro feita ao secretário. O Sr. Francisco encerrou o assunto dizendo que o Secretário de Agricultura deve ir falar com o prefeito sobre o viveiro. Daí o próprio secretário traga à redação do Jornal a resposta da pergunta feita.

O prefeito Adalto tem feito uma boa administração, mas tem alguns gargalos no município que precisam ser resolvidos. Além dos já citados acima tem a água do setor pioneiro que tem a rede de distribuição desde 1988. Mas a prefeitura nunca colocou água na rede.

O Jornal o Porto buscou em seu arquivo um pouco da história dessa Obra, uma das maiores de Apiacás.

Arquivo do Jornal O Porto – Edição 84 de 15/12/2004 Pág. 1) Quadra Poliesportiva Essa Obra o Estado começou deu problema na documentação do terreno Convênio com o estado R$148.000,00; Metragem da construção 22m x 60 m = 1.320m²; Prazo da Obra :90 dias; Encarregado da empreiteira para levantar os pré-moldados: Euzébio Almeida Marinho. Local da construção: próximo ao campo Charles Muller; Prefeita Silda levando o esporte de Apiacás a sério!

Scan- Quadra - pé direito-matéria de 15-12-2004

…………………………………

Arquivo do Jornal O Porto – Edição 116 de 31/05/2006 Pág. 3). Nessa época teve um projeto de Lei para doar essa estrutura para a igreja católica. A doação não saiu. O Frei Pedro, já planejava fazer salão com piso para uso das salas de catequese.

Scan- Quadra -matéria de 31-05-2006

                                                             ……………………………………………………

Arquivo do Jornal O Porto – Edição 140 de 16/06/2007 Pág. 1). Secretário Municipal de Agricultura Edilson Emmel com o apoio da prefeita Silda iniciou a colocação do vigamento de madeira/cobertura de Eternit de 6mm de espessura, levantar as paredes. Caminhão colocando terra (dia 12/6/2007).

Scan- Quadra -matéria de 16-06-2007

                                              ………………………………………………………………………..

Foto dia 03-10-2017 (Jornal O Porto)

20171003_082218

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Deixe uma resposta