30 de maio de 2020

Sema apreende 244 kg de pescado, tarrafas e redes irregulares em rios de MT

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), realizou, nos últimos dias, duas operações de apreensão de pescados e materiais de pesca predatória em Poconé, Santo Antônio do Leverger e Barão de Melgaço

A primeira operação foi realizada no sábado (25), no rio Cuiabá na região de Porto Jofre, em Poconé, a 104 km da capital. A equipe apreendeu 244 quilos de pescados das espécies de pintado, cachara, pacu e jaú, além de aplicarem um auto de inspeção, um termo de apreensão e três recibos de doação.

A segunda operação feita na segunda-feira (27), na região do Barranco Alto e Igrejinha, municípios de Barão de Melgaço e Santo Antônio de Leverger, os fiscais apreenderam duas cevas fixas descaracterizadas, três canoas, quatro remos, dois tarrafões, duas redes de emalhar, e alguns exemplares de pescados das espécies de Jaú e Pintado.

Além das apreensões dos peixes e materiais de pesca, nove exemplares de pescados foram devolvidos ao rio.

De acordo com a Sema, os pescadores profissionais e amadores devem segguir a legislação ambiental, que estabelece a proibição para uso de apetrechos de pesca como tarrafa, rede, gancho, substâncias explosivas, equipamento sonoro, elétrico ou luminoso, entre outros.

As medidas mínimas dos peixes constam na carteira de pesca do estado. Em Mato Grosso, é proibida a captura, comercialização e transporte das espécies Dourado e Piraíba.

As unidades de conservação da categoria proteção integral visam a proteção da biodiversidade e por isso as regras são mais restritivas. Nesse grupo é permitido apenas o uso indireto dos recursos naturais; ou seja, aquele que não envolve consumo, coleta ou danos aos recursos naturais.

Entre os usos indiretos dos recursos naturais, há a recreação em contato com a natureza, turismo ecológico, pesquisa científica, educação e interpretação ambiental, entre outras.

Comentários