Em jantar com Taques, deputados cobram diálogo com os secretários

Baiano Filho ressalta que deputados, muitas vezes, não são atendidos por gestores do Executivo

Baiano Filho ressalta que deputados, muitas vezes, não são atendidos por gestores do Executivo

Alline Marques /Gilberto Leite/Rdnews

Mais de 15 deputados atenderam convite do governador Pedro Taques (PSDB) e participaram de um jantar com o chefe do Executivo e com membros do secretariado. O “cárdápio” foi bastante variado, tendo passado pela crise econômica, pagamento do RGA, reforma administrativa e também para “aparar” as arestas do relacionamento entre os Poderes.

Esse foi o primeiro encontro ampliado do ano e acontece às vésperas da entrega de projetos tidos como estratégicos – como a reforma administrativa-, além de uma possível greve geral.

Além disso, nos bastidores, a informação é de que Taques entende que é necessário reforçar a articulação política do Executivo.

Durante o encontro, relataram ao governador e ao vice-governador Carlos Fávaro (PSD) que têm dificuldade para falar com alguns membros do secretariado, o que dificulta o debate acerca das demandas das suas bases.

Segundo o deputado Baiano Filho (PSDB), que visitou a sede do Rdnews nesta quarta (25) e foi entrevistado pelo Rdtv, parlamentares também reclamaram da falta de retorno às ligações e até mesmo de não serem avisados sobre a ida de um secretário na base do dos deputados. “É muito chato quando alguém te liga e fala: tá sabendo que o secretário tá aqui, e você não foi avisado”, pondera Baiano.

Em relação ao RGA, segundo o tucano, Taques voltou a detalhar a situação financeira do Estado. O parlamentar, inclusive, faz a defesa do Executivo.

Ressalta que diálogo não foi cortado e que o governo deve apresentar na próxima semana uma contraproposta ao Parlamento e aos servidores. “A Assembleia tem esse papel de intermediar esta relação e não tem dúvida de que todos os deputados têm a compreensão de que o RGA é um direito do servidor, mas, por outro lado, temos a situação do governo. O que precisa é encontrar um jeito para resolver isto e o governo apresentar uma proposta, que seja parcelar em uma, duas, cinco ou dez vezes. E é importante destacar que este diálogo está existindo”, avalia.

Já sobre a derrubada do veto que barrou o RGA dos servidores do Poder Judiciário, Baiano, que pertence à base do governo, já adiantou que não seguirá o entendimento do Executivo, por considerar legítimo que o Tribunal de Justiça utilize seu orçamento da maneira que entende ser melhor.

A bancada foi liberada para votar da forma que achar mais justo, sendo que o próprio líder, Wilson Santos, anunciou que se posicionará pela queda do veto, assinado pelo então governador em exercício Carlos Fávaro.

Apesar das reformas tributárias e administrativas estarem na pauta do jantar, não foram amplamente debatidas. O governador informou que fará uma apresentação detalhada das propostas aos parlamentares assim que forem concluídas. Ainda segundo Baiano, todos os 24 deputados foram convidados.

Fonte: Rdnews.com.br (25-05-16)

Comentários

Deixe uma resposta