Vigilância Sanitária realiza Capacitação para Agentes Comunitários e Agentes de Combate a Endemias sobre Leishmaniose

A Secretaria de Saúde do município de Apiacás realizou na tarde desta segunda-feira (10/08) uma capacitação com agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias, sobre a leishmaniose e as formas de orientação à população Apiacaense sobre a doença. O treinamento foi realizado na Escola Estadual Portal da Amazônia e as orientações foram ministradas pelas coordenadoras da Vigilância em Saúde Josiane Gonçalves e Coordenadora do PSFS-I Priscila de Oliveira Combinato.

No total, cerca de 26 agentes receberam as orientações sobre como proceder durante visitas às casas, e como identificar o vetor da doença, que é transmitida através da picada do inseto Flébotomíneo conhecido popularmente como “Mosquito Palha”.

A capacitação dos agentes tem como finalidade orientá-los sobre os cuidados que devem tomar ao vistoriar casas e quintais do município, alertando os moradores sobre como efetuar a limpeza, eliminando tudo o que possa deixar o ambiente propicio ao inseto.

Para a Sra. Josiane Gonçalves, coordenadora da vigilância em saúde, a leishmaniose é uma doença de grande relevância em saúde pública e é transmitida em cães, através da picada do mosquito Palha, podendo ser transmitida também ao homem inclusive levar a óbito. “A melhor maneira de prevenção da leishmaniose é através da eliminação de criadouros do mosquito Palha, que se desenvolve em matéria orgânica, como folhas secas acumuladas no quintal, esterco de animais, enfim, local úmido e sombreado, passível de acumulo de materiais que possam entrar em decomposição”, explicou a coordenadora da Vigilância Sanitária.

Além disso, os agentes foram orientados para identificar animais com sintomas da doença para realizarem a notificação ao município.

Segundo Josiane o Município de Apiacás já Notificou durante o ano de 2015, 25 Novos casos de Leishmaniose Tegumentar Americana que tem aumentado ano a ano e os casos estão cada vez o mais próximo do perímetro urbano.

Fonte: assessoria de imprensa/ coordenadora vigilância em saúde. (12-08-15)

Comentários

Deixe uma resposta