16 de abril de 2024

Projeto apoiado pelo MPMT é finalista de prêmio nacional

O projeto “Implementação de Tecnologias Sociais e Educação Ambiental em Comunidades do Alto Pantanal Mato-Grossense”, que conta com parceria do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT), é um dos finalistas do Prêmio ANA 2020, criado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) para reconhecer e valorizar as melhores práticas e iniciativas voltadas ao cuidado e gestão das águas do Brasil. Desenvolvido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Mato Grosso, a iniciativa está em funcionamento desde 2009 e tem conseguido bons resultados no tocante à redução das crises cíclicas de falta de água para atividades escolares e de agricultura familiar.

Sete assentamentos na microrregião do Alto Pantanal, com cerca de 360 famílias e 500 alunos de duas escolas do campo no município de Cáceres, já foram beneficiados pelo projeto. Segundo o coordenador da iniciativa, engenheiro agrônomo Samir Curi, a premiação reconhece que as tecnologias sociais implantadas estão conduzindo a resultados sustentáveis. “Em especial no acesso à água, no aumento de renda na agricultura familiar e na diminuição do êxodo rural. Mas, para essa transformação continuar, é fundamental incluir todas essas tecnologias sociais na educação escolar e comunidade, para que a próxima geração tenha novos conceitos ambientais e prossiga a mudança”, considerou.

O projeto – Embora o Pantanal mato-grossense seja conhecido pela fartura de água – com a imagem simbólica de rios, lagos e lagoas –, a segurança hídrica é um problema em boa parte da região, principalmente de maio a outubro, com destaque para a microrregião do Alto Pantanal. A seca dura, em média, seis meses. Nesse período, os corixos (pequenos lagos formados na época das chuvas) ficam contaminados e a captação subterrânea é muito difícil, porque o lençol freático é profundo e muitas vezes a água é salobra.

E o projeto “Implementação de Tecnologias Sociais e Educação Ambiental em Comunidades do Alto Pantanal Mato-Grossense” busca resolver o problema de falta d’água com alternativas ambientalmente sustentáveis, como captação da água da chuva, cisternas, lago de uso múltiplo, biofossa e reservatório para piscicultura. A iniciativa tem o apoio de diversas instituições, incluindo o MPMT, que destina recursos de transações penais para o desenvolvimento dos trabalhos.

O prêmio – Vencedor do 7º Prêmio Melhores Práticas A3P | 2018, realizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), o projeto agora é um dos 24 finalistas do Prêmio ANA 2020. A premiação é dividida em oito categorias e Mato Grosso concorre como “Governo”. Os vencedores de cada grupo serão anunciados até março de 2021. Criado há 14 anos pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, o Prêmio ANA é a mais tradicional premiação do setor de águas do Brasil.

Fonte: www.mp.mt.gov.br(17/12/2020).

Comentários