Sesp e Justiça Eleitoral discutem segurança nas eleições municipais

eleições 2016 01-06-16Publicado em: 07 de junho de 2016

Fonte:Assessoria Sesp-MT

O planejamento da segurança pública nas eleições municipais de outubro foi tema da reunião entre o secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas e a desembargadora Maria Helena Póvoas, presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT).

“Viemos pedir, como nas eleições anteriores, a renovação da parceria com a Sesp”, disse a presidente, em encontro realizado na tarde desta segunda-feira (06.06), na sede da secretaria.

Entre outros temas, a desembargadora mencionou a criação de um comitê interinstitucional que discute as normas de conduta sobre como atuar em determinadas regiões. A desembargadora pediu que a Sesp indique nomes para compor o grupo. “Temos regiões complicadíssimas, como aldeia indígenas e locais com conflitos agrários. Então há problemas localizados que necessitam, com cautela e antecipação, de um mapeamento”.

A presidente do TRE lembrou da parceria com a Secretaria de Segurança Pública nas eleições anteriores. “Não tem como ser diferente este ano. Sem a parceria com o Estado, não caminhamos. Dentro desse conjunto de parceiros, está a Sesp”, pontuou.

Também presente ao encontro, o juiz auxiliar da Presidência do TRE, Lídio Modesto da Silva Filho e presidente da Comissão de Segurança das Eleições 2016, afirmou que a experiência das eleições anteriores, quando foi criado um Gabinete de Gestão Integrada, deve ser mantida. “Precisamos desse envolvimento com as forças de Segurança Pública. A indicação dos representantes do segmento da Segurança é muito importante”.

O superintende de Planejamento Operacional e Estatística da Polícia Militar, coronel PM Paulo Serbija Filho, disse que a instituição já está com um planejamento bem adiantado. “O nosso objetivo é garantir a ordem pública, assegurando o exercício da cidadania”, observou.

Pardal

Além do planejamento operacional, a tecnologia será outra aliada das instituições no combate aos crimes eleitorais. Segundo a desembargadora, o encaminhamento de denúncias por meio do aplicativo Pardal, lançado em 2014 pelo TRE, será mantido nestas eleições.

“Baixando o programa, o eleitor poderá fotografar uma tentativa de crime eleitoral. A foto vai direto para a ouvidoria do Tribunal Regional Eleitoral e, depois de um estudo sobre o caso, é encaminhada para a Polícia Federal, que vai checar a veracidade da denúncia”, explicou a magistrada.

O secretário Rogers Jarbas reforçou que as instituições de Segurança pública irão colaborar para que a eleições sejam realizadas da melhor forma possível. “Vamos nos desdobrar para que a parceria seja ainda melhor neste ano”, afirmou o gestor.

Participaram da reunião representantes da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros e do Tribunal Regional Eleitoral.

Comentários

Deixe uma resposta