Movimento de esquerda realiza ato contra “golpe” a presidente Dilma

Dilma 09-03-15 lava jatoCamila Cervantes

Reprodução (01-10-15)

Lideranças políticas e da sociedade civil, partido de esquerda, movimentos sociais, sindicais e estudantis, lança nesta sexta (2), às 19h, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público (Sintep), em Cuiabá, a Frente Brasil Popular Mato Grosso (FBP-MT), que foi lançada em Belo Horizonte (MG), no último dia 5, durante a Conferência Nacional Popular, com o objetivo de promover uma contraofensiva ao avanço das pautas conservadoras e de direita, no país.

Entre as autoridades estão o deputado federal Ságuas Moraes (PT), o ex-ministro da secretaria geral da Presidência Gilberto Carvalho e da presidente da União Nacional dos Estudantes (Une), Carina Vitral. As principais bandeiras de luta da Frente são a defesa da democracia e da soberania do voto popular; a implementação de uma nova política econômica que priorize o emprego, a renda e o crescimento econômico; bem como a defesa dos direitos dos trabalhadores e da soberania nacional.

Além disso, lutam por uma reforma política soberana e popular, que fortaleça a participação direta do povo nas decisões políticas do país. O ato de lançamento da FBP-MT será precedido por um Seminário de Organização das lutas da Frente, que ocorrerá no mesmo dia, no Sintep entre as 14h e 18h.

A expectativa é de que caravanas com militantes de municípios do interior compareçam para participar tanto do seminário quanto do ato de lançamento, que também contará com a presença do dirigente nacional da Consulta Popular, Ricardo Gebrim.

Manifestação

A primeira atividade de rua da FBP-MT será no sábado (3) às 9h, na Praça Ipiranga, em Cuiabá. A manifestação segue calendário nacional de protestos que ocorrerão em todo o país, contra a tentativa de golpe ao mandato da presidenta Dilma, em defesa da Petrobrás e da manutenção do regime de Partilha do Pré-sal e pela mudança na política econômica do governo federal. (Com Assessoria)

Comentários

Deixe uma resposta