Gaeco cumpre quinto mandado de prisão da “Operação Seven”

Preso - cadeia -Ministério Público17/02/16 – CUIABÁ

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) realizou na tarde desta quarta-feira (17), a quinta prisão da operação “Seven”. Desta vez, o mandado teve como alvo o ex-procurador do Estado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho. Ele foi detido no Fórum de Cuiabá, após deixar a audiência relacionada à operação “Sodoma”, e encaminhado para o Centro de Ressocialização da Capital, o antigo “Carumbé”.

De acordo com o Gaeco, a prisão preventiva foi decretada no dia 12 de fevereiro nos autos do processo que apura esquema de desvio de verbas públicas, que seria encabeçado pelo ex-governador do Estado, Silval da Cunha Barbosa. Trata-se de fraude mediante a expropriação de terras rurais e mudanças de destinação de tais terras, que visava tão somente a aquisição simulada de uma área rural de 721 hectares, a qual, na verdade, já havia sido adquirida anos antes pelo Estado. Estima-se que R$ 7 milhões foram desviados dos cofres públicos com a referida transação.

“Além da compra simulada, consta que o valor do negócio foi superfaturado e que a área de terras está hipotecada para terceiros, de modo que jamais poderia ter sido adquirida”, destacou a juíza Selma Rosane Santos Arruda, na decisão que decretou a prisão do ex-procurador.

A magistrada ressaltou, também, a influência exercida pelo ex-procurador do Estado e afirma que a organização criminosa “parece estar em pleno funcionamento e ainda oferece riscos à ordem pública e à instrução processual”. Enfatiza, ainda, que “Chico Lima”, como é conhecido, tem residência fora do país, o que aumenta a probabilidade de fuga, caso permaneça solto.

“O risco de fuga é iminente: basta que Francisco perceba que sua efetiva participação está sendo descortinada e tenha ciência de sua provável condenação pelos graves crimes que lhe são imputados”, afirmou.

Na operação Sodoma, o ex-procurador foi denunciado pela prática de crimes de peculato, organização criminosa e extorsão. Ele foi apontado como principal articulador da organização junto a empresas que se encarregaram da lavagem de dinheiro ilícito.

ATUALIZAÇÃO: Além do ex-procurador do Estado, a lista de presos da operação “Seven” inclui o ex-governador do Estado, Silval Barbosa; o ex-secretário chefe da Casa Civil, Pedro Jamil Nadaf; o ex-presidente do Intermat, Afonso Dalberto; e o Cel José de Jesus Nunes Cordeiro, ex-secretário adjunto da antiga Sad;

Assessoria de Imprensa do Ministério Público do Estado de Mato Grosso
www.mpmt.mp.br/Fone: 3613-5146 ou 9956-6275

Comentários

Deixe uma resposta