Processos/Crimes de Abuso Sexual contra crianças e adolescentes tem prioridade no judiciário.

Processos/Crimes de Abuso Sexual contra crianças e adolescentes tem prioridade no judiciário.

Palestrantes: Promotor,  Juiz e o Delegado

Palestrantes: Promotor, Juiz e o Delegado

A Secretaria de Assistência Social de Apiacás e o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), com o apoio de outros parceiros realizaram dia 17 de maio, na Câmara Municipal, à noite, palestras visando pontuar e esclarecer à população, a gravidade desse mal “violência sexual contra crianças e adolescentes” que atinge muitas crianças e adolescentes do nosso município.

Essas palestras que houvem, fazem parte da programação que houve para enfatizar o dia 18 de maio, dia nacional de enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Os convidados para palestrar foram: O Delegado da Polícia Civil Dr. Carlos Frederico Regis de Campos, o Promotor de Justiça Dr. Ricardo Augusto Farias Monteiro e MM. Juiz Substituto da Comarca de Apiacás Dr. Márcio Rogério Martins.

Ambos palestrantes foram categóricos, havendo denúncia de abuso sexual contra crianças e adolescentes o processo tem prioridade no judiciário.

Objetivo: Responsabilizar o agressor de crime cometido o mais rápido possível, que dá cadeia de 8 a 15 anos, principalmente dos menores de 14 anos. E amparar a vítima dando assistência médica e psicológica.

Ficou bem esclarecido os seguintes pontos:

► Que Apiacás e região apresenta um índice alarmante de casos de violência, onde 80% ocorrem dentro do âmbito familiar da vítima. (Agressor: Pai, padrasto, tio ou amigos da família).

► Já caracteriza crime: Passar a mão no corpo da criança ou adolescente, despir a vítima, assédio, beijinho, masturbação da vítima pelo agressor e vice-versa, etc;

► Mesmo que o agressor, quizer justificar que o menor facilitou para o fato, de nada adianta, será responsabilizado do mesmo jeito pelo crime;

► Pais – a Mulher, que souber do fato, e não denunciar, será responsabilizada pelo crime junto ao agressor;

► “A literatura especializada aponta que uma entre quatro meninas e um em cada dez menenos são vítimas de violência sexual antes de completar 18 anos em todo mundo”;

► “O abuso sexual contra crianças e adolescentes ocorre em tão expressiva quantidade que é considerado um problema de saúde pública”.

► “O problema é agravado pelo medo e vergonha das vítimas que indefesas, sofrem abusos reiterados por longos período de tempo, quando criam coragem para denunciar o abusador, padecem pela pressão da família e de pessoas próximas…”

 

Faça Bonito – diga não a violência sexual contra crianças e adolescentes.

Denuncie a violência. Você pode ficar anônimo, a Violência Não. Disque 100, 190 ou (66 3593-1885).

Os organizadores do evento agradeceram a todos os presentes e colaboradores.

Após as aprensentações e palestras foi servido salgadinhos e refrigerantes aos presentes.

Comentários

Deixe uma resposta