09 de agosto de 2022

EDITORIAL – Grilo a resolver para os que bebem demais da conta!

Pela tradição e costumes da sociedade em geral – todas às festas precisam ter bebidas, quer alcoólicas ou refrigerantes.

O refrigerante tem seus efeitos prejudiciais à saúde, a comida em si também, quando fora do limite, trás seus danos ao bem-estar da pessoa – mas vamos nos conter às bebidas alcoólicas – essas que dão os efeitos maléficos quer no bolso e na saúde. Consequências graves, a ressaca/indisposição: falta ao trabalho ou baixa produtividade em qualquer atividade que a pessoa venha a executar.

Além do mais, o beber fora do limite, pode causar acidentes de toda ordem, inclusive brigas e conflitos que levam até a óbitos.

Essa regra beber com moderação, como é difícil ser colocada em prática, nos encontros festivos!

Tem o ditado que diz “o mundo ensina”, ou “vivendo e aprendendo”.

Feliz da pessoa que depois de passar por grandes amarguras e sofrimentos devido os vícios perversos, arrependeram e tomaram consciência plena mentalmente da situação e fizeram mudanças radicais em seus comportamentos em festas, etc. Ah! Enquadra neste contexto de feliz, às pessoas que vendo e percebendo o sofrimento de familiares ou do cidadão(ã), após estarem com os efeitos da bebida alcoólica, onde viram acidentes e comportamentos vexatórios, em função de pessoas estarem bêbedas, aprenderam a lição e com isso, passaram a se policiarem por si mesma, e não bebem e se bebem, bebem com moderação.

Essas mudanças de comportamentos, às vezes são amargas, difíceis, mas necessárias para a pessoa reencontrar a verdadeira felicidade.

Mas aonde quero chegar?

Para que todas às pessoas que tem seus vícios horrorosos, terríveis, tomem uma atitude sabia, hoje, agora, e eliminam esses vícios das suas vidas. E, acima de tudo, com essa decisão, estão agradando sobre tudo a Deus Pai!

Para os adolescentes, jovens fiquem atentos: foquem nos estudos, no trabalho profissional, na religião e no lazer comprometido com o bem-estar do corpo e da alma. Fogem das más companhias.

Pais e mães, membros da família, curadores, tutores de pessoas, educadores – vamos dar as mãos e sermos fieis ao nosso Criador Jesus Cristo, e praticarmos só o bem e as boas condutas para com o próximo e sobre tudo, impondo limites aos nossos vícios cruéis e malvados.

Encontros sociais são necessários numa sociedade, desde que, os exageros não ocorram(estar sempre sóbrio). Para os que não dominam o vício da embriaguez alcoólica, o único jeito é evitar o primeiro gole, ou até mesmo não irem às festas!

Conclui-se: a única saída é estarmos vigilantes agora e sempre, para não cairmos em tentação.

Francisco Pinto dos Santos/católico, membro de Lions/Diretor do Jornal O Porto Cachoeira Rasteira.

Comentários