05 de dezembro de 2021

Delegado detona MP: “Por que doutores da lei precisam de vale covid?”

O delegado Flávio Stringuetta voltou a criticar a postura do Ministério Público Estadual (MPE), mesmo depois de sofrer retaliações da Polícia Judiciária Civil (PJC), e escreveu um novo artigo, no qual “detona” a postura do órgão. O delegado fala sobre o auxílio “covid” aprovado pelo MPE e como a instituição anda na contramão dos interesses públicos.

“Quarta-feira, dia 10/03/2021, fomos surpreendidos com a informação que os ‘doutores da lei’ do MPE receberão um adicional salarial, vulgarmente chamado de ‘vale-covid’, ou ‘auxílio-covid’, de R$ 1mil por mês. Os demais servidores do MPE, recebedores de salários bem menores, subalternos, ganharão apenas a metade deles. Por que, nobres cidadãos de bem e fiscais dos fiscais, os ‘doutores da lei’ precisam de ‘vale-auxílio covid’?E por que deve ser o dobro dos seus subalternos?”, escreveu Stringuetta.

Em outro trecho, ele se lembra dos cidadãos que ficaram em fila para receber um auxílio de R$ 600 no ano passado, que neste ano foi renovado no valor de R$250 e, o congresso discute como irá pagá-lo. Com isso, ele faz uma alusão as realidades.

“Para o combate à pandemia, todos estão se sacrificando ou sendo sacrificados. Todos não, desculpem, só os demais que não fazem parte da elitizada instituição chamada MPE, que anda na contramão dos interesses sociais nesses temas. Não só eles, como também, por exemplo, nossos políticos, que também não estão sendo afetados, ao menos em seus vencimentos, pela pandemia que estamos passando”, pontua.

Em fevereiro, o delegado havia publicado um artigo, no qual criticava durante a compra de Apple Iphones pelo Ministério Público. A crítica lhe rendeu a exoneração do cargo de titular da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

Mesmo depois da retaliação, Stringuetta voltou a criticar, em novo artigo, a instituição nessa semana. Leia o artigo completo aqui.

Fonte: www.reportermt.gov.br (13/03/2021).

Comentários