07 de maio de 2021

Conta não fecha: suinocultores acumulam prejuízo de até R$ 100 por animal abatido em MT

Preocupação nas granjas. A conta não tem fechado para os suinocultores em Mato Grosso. Com os preços em queda e os custos em alta, os criadores têm acumulado prejuízos. Hoje, o valor pago pelo suíno vivo gira em torno de R$ 4,90/kg no estado. Já as despesas dos produtores, chegam a aproximadamente R$ 5,70/kg, de acordo com a Acrismat. A cada animal encaminhado para abate, o prejuízo gira entre R$ 80 e R$ 100. Segundo a entidade, há risco de que pequenos produtores tenham dificuldades em continuar na atividade, caso o cenário siga como está. Confira.

Do início do ano até aqui, o valor pago pelo quilo vivo do suíno encolheu de R$ 5,70 para R$ 4,90 em Mato Grosso, queda de 13,85%. No mesmo período, o preço da carcaça vendida pelos frigoríficos recuou de R$ 10,73 para R$ 9,29/kg, uma diferença negativa de 13,42%. Apesar da retração sentida no campo e na indústria, na outra ponta da cadeia o cenário é outro, segundo a Acrismat, que questiona essa disparidade. Um levantamento feito pelo Imea aponta que os consumidores estão pagando mais caro pela carne suína no estado. Alguns cortes como o lombo, por exemplo, acumularam alta de 10% de janeiro até hoje, saltando de R$ 26,39 para R$ 26,87/kg em média.

O que dizem os supermercados?
Em nota encaminhada ao Canal Rural, a Associação de Supermercados de Mato Grosso (Asmat) contesta que o setor esteja elevando os preços da carne suína aos consumidores. Segundo o texto, “é importante esclarecer que os preços foram verificados nas lojas desde o mês de outubro de 2020 e não existe essa diferença apontada pela Acrismat. Nesta segunda-feira (29.03), por exemplo, o preço da carne suína nos supermercados de Mato Grosso está 2% mais baixa em relação ao mês de janeiro passado”, aponta. A nota encerra dizendo que “é preciso olhar o setor como um todo e não apenas casos isolados”, conclui.

Fonte: www.canalrural.com.br (01/04/2021).

Comentários